Tomografia de coerência óptica para avaliação do segmento anterior do globo ocular

Por: Dra. Norma Allemann?


A tomografia de coerência óptica (OCT) é um método de exame não-invasivo que permite a avaliação de detalhes microscópicos da câmara anterior do globo ocular. A OCT de 820 nm surgiu para avaliação do segmento posterior do globo ocular (retina e nervo óptico). A OCT de alta velocidade, 1.310 nm, foi idealizada para avaliar detalhes de estruturas de pequeno porte do segmento anterior (córnea, conjuntiva, lente intra-ocular, íris, ângulo iridocorneano) e resultados de cirurgias oftalmológicas da córnea, de glaucoma, catarata ou cirurgias refrativas e, ainda, seqüela de traumatismos no segmento anterior.

A OCT de segmento anterior é um método de não-contato, que não necessita de preparo especial. O exame consiste na aquisição de numerosos cortes ópticos do segmento anterior que são submetidos a diferentes sistemas de análise, incluindo-se mapas diferenciais de alguns parâmetros quando o exame for realizado de maneira seriada. A velocidade de captação da imagem é alta, permitindo reduzir artefatos de movimento e possibilitando observar eventos dinâmicos em tempo real, como, por exemplo, o mecanismo de acomodação (focalização do sistema óptico para perto com detecção das modificações da morfologia do segmento anterior do olho).

Durante a aquisição, há necessidade de se fixar o olhar na mira luminosa que orienta o olhar e solicita-se que o paciente evite piscar durante o rastreamento. O exame não é possível em crianças pequenas e, sendo um método óptico, a falta de transparência impede a avaliação detalhada de estruturas.

O segmento anterior pode ser avaliado em cortes ópticos similares a cortes tomográficos (daí o nome), em múltiplas direções. Este método não gera radiação.

O equipamento disponível que realiza OCT de segmento anterior (alta velocidade) denomina-se VISANTE OCT (Zeiss Ophthalmic Instruments).

Indicações da OCT de segmento anterior:

CórneaProfundidade de opacidades; cirurgias lamelares (LASIK para miopia ou hipermetropia, medida da espessura da lamela e do leito estromal), transplantes lamelares (parciais) ou penetrantes (totais), afinamentos e úlceras, edema, descolamento da membrana de Descemet, incisões, áreas de deiscência de incisões, úlceras de córnea, mapa paquimétrico da córnea (espessura da córnea medida em múltiplos pontos, com identificação de áreas afetadas), ceratocone, distrofias hereditárias da córnea.Câmara anteriorProfundidade, conteúdo, diâmetro interno para programação de cirurgias de segmento anterior.ConjuntivaLesões superficiais, bolha filtrante de cirurgia antiglaucomatosa (trabeculectomia).GlaucomaAbertura do ângulo iridocorneano, localização do esporão escleral, morfologia.ÍrisLesões císticas ou sólidas, morfologia, cirurgias como iridectomia, tratamentos a laser como iridoplastia, lesões traumáticas como irido e ciclodiálise.Lente intra-ocularPosição, centralização, localização de hápticos, distância da porção óptica ao endotélio e ao cristalino: LIO de câmara anterior de suporte angular ou de fixação na íris, ou, ainda, LIO de câmara posterior, utilizadas para cirurgia de correção de altas ametropias (cirurgia refrativa) ou para correção de pseudofacia.CristalinoPosição do cristalino (deslocamento).Fonte: http://www.fleury.com.br/