Localização Radioguiada de Lesão Mamária não palpável - ROLL

Por: Dr. Marco Antônio Condé de Oliveira; Dr. Luiz R. F. Martins??


A primeira cirurgia com a técnica ROLL (Radioguided Occult Lesion Localization) foi realizada em maio de 1996, no Instituto Europeu de Oncologia em Milão. O nome original em italiano dado para a técnica foi centratura radioisotopica, que traduzido para o inglês seria radio-isotopic targeting (RIT). Como a sigla RIT já era utilizada para radioimunoterapia, o nome foi mudado para ROLL.1

A técnica surgiu da necessidade de localizar, durante a cirurgia, lesões mamárias não palpáveis como, por exemplo, nódulos pequenos ou profundos e microcalcificações. Na década de 90, já se realizava a localização intra-operatória do linfonodo sentinela com o gama probe após administração de colóides radioativos. Dessa forma, surgiu a idéia de injetar o material radioativo dentro da lesão não palpável e localizá-la com o gama probe durante a cirurgia. A partir de então, vários trabalhos foram publicados na literatura demonstrando a facilidade, eficácia e segurança do ROLL.2,3

Técnica

A substância utilizada no ROLL é o MAA-99mTc (macroagregado de albumina marcado com Tecnécio-99m) que por ser uma partícula de tamanho grande, fica retida no local da injeção possibilitando uma localização precisa durante a cirurgia.

O MAA-99mTc é injetado dentro da lesão com o auxílio da mamografia ou ultra-sonografia, dependendo do tipo de lesão (nódulo, microcalcificação, densidade assimétrica, etc).

Imediatamente após a injeção do radiofármaco são realizadas imagens anterior e lateral de tórax. A imagem pré-operatória é importante para confirmar a qualidade técnica da injeção, excluindo as possibilidades de extravasamento, contaminação na pele, atividade residual no trajeto intramamário da agulha, espalhamento do radiofármaco na mama por injeção dentro dos ductos e presença de atividade pulmonar quando o material é injetado em estruturas venosas. O cuidado técnico no momento da administração e a realização da imagem pré-operatória são essenciais para garantir uma localização intra-operatória sem intercorrências.

Em relação ao método convencional (agulhamento), o ROLL permite uma localização intra-operatória com menor retirada de tecido mamário e menor manipulação. Com o ROLL não existe o risco de perda da marcação como pode ocorrer no agulhamento, por movimentação da agulha. Além disso, como a paciente não vai para casa com uma agulha afixada na mama, o ROLL é mais confortável e indolor e não restringe as atividades diárias da paciente.

Imagem anterior de tórax após a marcação de duas lesões não palpáveis em mama esquerda.

Fonte: http://www.fleury.com.br/