A colposcopia na avaliação do colo uterino

Por: Dra. Patrícia De Luca??


O câncer cervical e a neoplasia pré-invasiva constituem importantes problemas da saúde da mulher. No entanto, a detecção precoce e o tratamento das lesões suspeitas são eficazes na prevenção do câncer invasor. O diagnóstico precoce de tais lesões baseia-se no sistema clássico, que compreende o rastreamento citológico, a localização colposcópica das atipias detectadas à citologia, e um diagnóstico histológico, por meio de biópsias colposcopicamente orientadas. Portanto, tais recursos diagnósticos são indispensáveis à rotina ginecológica.

As lesões de alto grau, na maioria das vezes induzidas pelo Papilomavírus humano (fator de grande importância na oncogênese cervical e vaginal), poucas vezes podem ser vistas a olho nu. A maioria pode ser identificada somente pela colposcopia, que deve ser considerada como padrão ouro em patologia do trato genital inferior.

A colposcopia não só é útil para a detecção das lesões neoplásicas e pré-neoplásicas cervicais e vaginais. O ginecologista pode contar com esse recurso no seu dia-a-dia para avaliação de lesões benignas, que acometem colo e vagina, tais como pólipos cervicais, cervicites, colpites e erosões. São patologias que levam a mulher ao consultório ginecológico com queixas de sinusorragia, dispareunia e corrimento.

A colposcopia foi idealizada por Hinselmann nos anos 20 e, desde então, vem sendo cada vez mais aperfeiçoada, não só no sistema óptico, mas nos de imagem e registro fotográfico.

No setor de Colposcopia, contamos com o que há de mais moderno. Além da videocolposcopia, na qual a cliente pode acompanhar seu exame em uma TV monitor, dispomos de um sistema de captura de imagens, no qual elas são digitalizadas e armazenadas. Essa inovação permite que as imagens fiquem disponíveis no sistema para efeito comparativo no retorno da cliente. Possibilita, ainda, a realização de videoconferências entre os médicos colposcopistas ou entre o colposcopista e o médico solicitante. Por fim, pode ser útil até para o caso de uma solicitação de segunda via de laudo.

Antes mesmo desse recurso da informática, já contávamos no setor de Colposcopia com a vantagem de sempre termos em mãos, no momento do exame, os resultados de exames anteriores, de colpocitologias oncóticas cérvico-vaginais, colposcopias, vulvoscopias e biópsias de colo, vagina e vulva. Dessa maneira, pode-se realizar o exame de forma seqüencial, comparativa e personalizada, e agora dispondo também das imagens anteriores.

Apesar de ser um exame ambulatorial e muitíssimo bem tolerado pelas mulheres, há casos raríssimos de intolerância absoluta à realização da colposcopia por mulheres adultas e há também casos de necessidade de realização em crianças. Para resolver tais situações, fez-se uma parceria com o setor de Anestesia e, para tais casos, podemos oferecer a colposcopia sob sedação.

Fonte: http://www.fleury.com.br/