Antitrombina III

Exame
Sinônimo: Atividade do Co-fator heparinico.
Seção: Hematologia
Material: Plasma
Volume: 1 ml
Método: Cromogênico
Rotina: 2a a 5a feira
Prazo de entrega: 15 dias

Jejum: Sim, 8 horas

Interpretação: A Antitrombina III é uma proteína anticoagulante natural, estando sua deficiência associada a estado de hipercoagulabilidade, com o aumento do risco de trombose venosa. A deficiência de antitrombina III está presente em 1,7% da população. As deficiências congênitas são divididas em tipo I e tipo II.
No tipo I a concentração e a atividade da antitrobina III estão diminuidas.
No tipo II, apesar da concentração normal da antitrombina III, a sua atividade funcional é baixa.
Assim existem ensaios antigênicos, que determinam a quantidade da proteína, e ensaios funcionais. Uma vez que os ensaios funcionais identificam ambos os tipos de deficiência, os ensaios antigênicos só devem ser realizados se o ensaio funcional estiver diminuido, para que se defina precisamente o tipo de deficiência. As deficiências adquiridas são mais comuns e podem decorrer de redução da síntese hepática (cirrose, etilismo, hepatite), de aumento do consumo (tromboses, coagulação intravascular disseminada, infarto agudo do miocárdio), perda (síndrome nefrótica, enteropatias, traumas) e de outras causas (uso de heparina, uso de estrógenos, gravidez).
Níveis aumentados podem ocorrer em processos inflamatórios, uso de anabolizantes e penicilinas. Ao nascimento, níveis de antitrombina são em média 63% dos níveis do adulto, aumentando a estes níveis aos aos seis meses de idade.

Valores de Referência: 80 a 120 %