Ácido 5-Hidroxi-Indol-Acético (5-HIA)

Exame
Seção: Toxicoloiga
Material: Urina 24 horas.
Volume: Coeltado 24 horas.
Método: Cromatografia Líquida de Alta Performace (HPLC).
Rotina: Diária
Prazo de entrega: 10 dias

Observações: Informar medicamentos em uso, volume, horário inicial e final da coleta, dosagem, dia e hora da ultima dose.
- Dieta: O paciente deverá permanecer 24 horas sem usar qualquer medicação e sem ingerir os alimentos abaixo relacionados, pois interferem no resultado: Abacate, Abacaxi, Ameixa, Banana, Beringela, Pickles, Nozes, Tomate.
- Alguns medicamentos podem interferir, e o médico deve estar ciente da necessidade do uso e somente ele pode suspendê-lo: Acetaminofen, Acido Acetico, Acido Dehidroxifenilacetico, Acido Gentisico, Acido Homogentisico, Fenotiazinas, Formaldeido, Imipramina, Isoniazida, Inibidores da Mao, L-Dopa, (Levodopa) Metil Dopa, Morfina, Naproxifeno, Salicilatos, Xaropes para tosse com gliceril guacolato.
- Não fazer esforço físico durante a coleta.
- O cliente deve manter sua rotina diária.
- Não é necessário aumentar a ingestão de líquidos, exceto sob orientação médica.

Interpretação: O 5-HIAA é um metabólito da serotonina usado como marcador de tumores carcinóides (tumores neuroendócrinos que originam-se principalmente nos tratos respiratórios e gastrointestinais). Alimentos ricos em serotonina devem ser evitados antes e durante a coleta. Medicamentos usados podem interferir no resultado do exame: levodopa, imipramina, acido dihidrofenilacetico, metildopa, antidepressivo IMAO, morfina, acetominofen, acido acetico, salicilatos, formaldeido, isoniazida, fenotiazinas, xaropes com glicerilguacolato e naproxifeno. As concentrações do 5-HIAA podem estar normais com tumores carcinóides não metastáticos e na síndrome carcinóide, particularmente, em pacientes sem diarréia. Alguns pacientes com síndrome carcinóide excretam ácidos indólicos não hidroxilados que não são medidos pelo teste do 5-HIAA. O 5-HIAA encontra-se aumentado nos pacientes com má- absorção e níveis aumentados de metabólitos urinários do triptofano (doença celíaca, sprue tropical, Doenca de Whipple, fibrose cística, etc.), e em pacientes com obstrução crônica do trato intestinal além de alguns pacientes com tumores de ilhota não carcinóides. Seus níveis exibem uma correlação ruim com a gravidade da doença. Níveis aumentados são observados na gravidez, ovulação e estresse.

Valores de Referência: Inferior a 10 mg/24 horas
: Liminares : 11 a 20 mg/24 horas